Em caso de emergência, pacientes devem ligar para:
(86) 99982-0547

Archive: 2016 / 03

Você sabe o que é Câncer Colorretal?

Você sabe o que é Câncer Colorretal?

12813914_786124351492215_8925586211747419556_n

Março é considerado o mês de conscientização sobre o Câncer Colorretal, uma doença que atinge o intestino grosso e pode acontecer indistintamente em homens e mulheres.

Em sua maioria, o câncer colorretal se desenvolve gradativamente por uma alteração nas células que começam a crescer de forma desordenada sem apresentar qualquer sintoma. Por esse motivo, é fundamental fazer exames de rotina para ajudar na detecção precoce.

A maioria dos casos, em estágio inicial, de câncer colorretal não apresentam quaisquer manifestações clínicas. Por isso, é importante ficar atento a qualquer mudança, sinal ou sintoma diferente, como:

  • Diarreia ou constipação;
  • Sensação de que o intestino não é completamente esvaziado;
  • Presença de sangue nas fezes;
  • Dor abdominal tipo cólica, sensação de inchaço abdominal;
  • Perda de peso sem um motivo específico;
  • Cansaço e fadiga constante.

Estes sintomas também estão relacionados a outras doenças, não são necessariamente exclusivos do câncer colorretal. Entretanto, existindo qualquer um destes, um médico deverá ser consultado para o diagnóstico preciso e o início do tratamento caso necessário.

Em qual médico devo ir?

O Coloproctologista é o médico especialista nas doenças do intestino. Aqueles com histórico familiar ou outros fatores de risco, devem conversar com seus médicos para estabelecerem o início dos exames de rastreamento mais precocemente ou realizá-los com mais frequência. Para aqueles que não possuem fatores de risco identificados, é importante ter o acompanhamento médico a partir dos 50 anos.

Os exames de rastreamento podem detectar o câncer colorretal precocemente, quando ainda a possibilidade de cura é grande. Isso ocorre porque alguns pólipos ou tumores podem ser encontrados e removidos antes de se transformarem em câncer.

O rastreamento é o processo da detecção de câncer em pessoas sem qualquer sintoma, e pode ser dividido em dois grandes grupos:

Exames que podem detectar a presença de pólipos – São exames que avaliam a estrutura do cólon para detectar as áreas anormais. Os pólipos podem ser retirados antes de se tornarem cancerígenos.

Exames para detecção de câncer – Exame de fezes para detecção de sinais de câncer. Este exame é menos invasivo e mais fácil de ser feito, mas é menos específico para detecção de pólipos.

Esses exames, assim como outros podem ser utilizados quando as pessoas têm sintomas no aparelho digestivo que podem ser de câncer colorretal ou outras doenças que acometem o intestino.

colonoscopia_2

Os tratamentos contra o câncer colorretal, na maioria das vezes, podem trazer alguns efeitos colaterais interferindo na forma como o paciente se alimenta. Está comprovado que uma alimentação saudável, que contêm nutrientes (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, minerais e fibras) em quantidades adequadas são indicadas em todas as etapas da doença, mas em especial durante o tratamento.

alimentacao

O planejamento alimentar é parte importante do tratamento. Uma alimentação correta durante essa fase pode contribuir para o seu bem estar e fortalecimento, evitando a degeneração dos tecidos do corpo e ajudando a reconstruir aqueles que o tratamento contra o câncer possa ter prejudicado. Pacientes com boa alimentação durante o tratamento têm melhores condições de vencer os efeitos colaterais e de enfrentar, com êxito, a administração de doses mais altas de certos medicamentos.

Dicas de Alimentação

  • Fracione as refeições. Opte por pequenas porções de 3 em 3 horas;
  • Adquira o hábito de colorir o seu prato com porções de verduras, legumes e cereais. Um prato colorido significa nutrientes diferentes e importantes para o bom andamento do seu organismo;
  • Diminua o consumo de fritura e alimentos que contenham sal;
  • Coma devagar e mastigue bem os alimentos;
  • Evite alimentos industrializados;
  • Hidrate-se com água, sucos naturais ou água de coco.

Fonte: Oncoguia.