Em caso de emergência, pacientes devem ligar para:
(86) 99982-0547

Autor: Fabrício Cavalcante / Página 6 de Array

Festa Junina Oncoclínica

Quem não ama Festa Junina, não é mesmo? A Oncoclínica já entrou no clima da folia e sexta à noite tivemos o nosso arraial! Uma noite muito divertida, com muito arrasta-pé. Agradecemos pela presença de todos!

WhatsApp-Image-20160618 (5) WhatsApp-Image-20160618 (11) WhatsApp-Image-20160618 (15) WhatsApp-Image-20160618 WhatsApp-Image-20160618 (1) WhatsApp-Image-20160618 (4)

Aspectos Psicológicos Gerados Em Pacientes Diante Da Fosfoetanolamina

Aspectos Psicológicos Gerados Em Pacientes Diante Da Fosfoetanolamina

No dia 19 de maio, por 6 votos a 4, o Supremo Tribunal Federal (STF)  decidiu suspender uma lei, válida desde abril de 2016, que autorizou pacientes com câncer a fazerem uso da Fosfoetanolamina sintética,  suspendendo  também as decisões judiciais que obrigavam o governo a fornecer a chamada “pílula do câncer”.

Mas afinal, o que é a Fosfoetanolamina? É um remédio? Substância?

Para ser mais precisa, trata-se de uma substância sintética que vem sendo investigada quanto à possibilidade de interferir no crescimento do câncer.

Os estudos com esta substância foram iniciados no começo dos anos 90, por um químico, no Instituto de Química de São Carlos – USP. O estudo descreve a ação da substância como uma espécie de marcador, sinalizando para o corpo sobre as células cancerosas, deixando as mesmas mais visíveis para que o sistema imunológico possa combatê-las.

Porém, em 2015, começou uma grande polêmica em torno da Fosfoetanolamina.  Mas o que há de errado com essa substância sintética, já que ela parece ser tão promissora?

A resposta começa por esta ser ainda uma substância sintética e não uma droga. Isso mesmo, a Fosfoetanolamina é uma substância experimental, não possui registro na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e consequentemente não pode ser distribuída livremente para a população.

Indo mais a fundo, para ela ser aprovada como um medicamento e ter registro na ANVISA, teria que passar por todas as fases rigorosas de uma pesquisa clínica. Existem muitos relatos positivos de pacientes que fizeram o uso da substância na mídia, mas a existência de relatos de cura entre pacientes que recorreram à Fosfoetanolamina não comprova a sua eficácia contra o câncer. Estudos com seres humanos necessários para que uma substância seja considerada um medicamento, chamados testes clínicos, têm planejamento e controle rigorosos, além de um acompanhamento contínuo dos pacientes.

Neste contexto, é temerária e compreensível a discussão gerada em torno da temática. Há uma diferença entre respeitar o direito do paciente de buscar uma terapia alternativa e forçar o Estado a disponibilizar essa terapia alternativa quando não há comprovação científica. Isso é ruim para o Estado, para a população e pode ser mais grave para o paciente.

Outro aspecto grave que acompanha essa discussão é a esperança gerada em cima dessa substância. Muitos pacientes encontram na Fosfoetanolamina a chance de sua cura, ocasionando uma falsa expectativa. Por exemplo, imagine um paciente paliativo vivendo seus momentos de tratamento, se deparando com a “pílula do câncer” e depositar nela toda a sua esperança e chance de cura. Ou imagine um paciente que tem seu diagnóstico curativo, abandonando o tratamento convencional em nome dessa substância. Se o próprio diagnóstico e tratamento já são sofridos e desgastantes, imagine agora a frustração que poderia ocasionar neste paciente que depositou todas as suas fichas em uma substância ainda longe de se tornar um medicamento. Isso pode ser facilmente comparado com “brincar” com os sentimentos e com a vida de pessoas que já estão sofrendo há um bom tempo.

Na sessão do dia 19 de maio de 2016, o plenário da Corte analisou um pedido de liminar da Associação Médica Brasileira (AMB) para suspender a lei, aprovada no Congresso e sancionada em abril pela presidente afastada Dilma Rousseff. No julgamento do mérito, ainda sem data prevista, o plenário deve decidir se anula ou não a lei.

Portanto, conclui-se que novos medicamentos precisam ser testados com responsabilidade e ética antes de serem disponibilizados no mercado, mesmo que sejam gratuitos. Dessa forma, garantiriam a segurança, a esperança e a expectativa favorável para o paciente que tanto necessita.

 

Ingrid Orsano
Psicóloga

A experiência de trabalhar na Oncoclínica por Marco Philipe.

A experiência de trabalhar na Oncoclínica por Marco Philipe.

Nossos guerreiros e seus ensinamentos
O nordestino é, antes de tudo, um forte. Assim, Euclides da Cunha

descreveu os sertanejos magros e maltratados do início do século XX, uma

revolução do pensamento que até então se tinha dos moradores do ambiente

hostil da caatinga nordestina. Da mesma forma, paulatinamente se quebram

paradigmas em relação ao paciente oncológico: não mais visto como um

infortunado, mas um guerreiro e, dessa forma, por definição, um potencial

vencedor.

 

Pelo que lutam, então, esses guerreiros? Responder que é simplesmente

por suas vidas, seria ignorar as múltiplas dimensões do ser humano. Trabalhar

acompanhando as sessões de quimioterapia na Oncoclínica nos permite

conhecer várias histórias e esboçar de uma resposta mais completa.

Antes de Cristo, Hipócrates já dizia: curar quando possível; aliviar quando

necessário; consolar sempre. Aceitar que não se domina plenamente o curso da

vida é o primeiro passo para compreender que o paciente oncológico não é

injustiçado pelo destino. Sob o olhar mais atento, é uma pessoa que tem a chance

de levar sua vida sem receios, diferentemente da maioria dos outros, que, muitas

vezes, desperdiçam o tempo por julgá-lo infinito.

 

As pessoas com câncer lutam pela felicidade – de si próprias e dos seus.

Rapidamente, compreendem que a alegria não advém necessariamente da

absoluta extirpação da doença, uma vez que somos humanos e a morte é nosso

destino inalterável. A vitória vem de percorrer o trajeto da vida aproveitando

cada momento, deixando bons frutos, amando e chorando, quando necessário.

Todas as pequenas conquistas, como voltar para casa depois de uma internação

hospitalar, cuidar da sua plantação, de seus animais, retomar o trabalho, rever os

amigos, abraçar os filhos, pais, netos, irmãos, vizinhos ou um estranho, são – com

razão – festejadas e fazem seus dias mais pontilhados de alegrias.

 

Buscar a cura é, sim, no entanto, um objetivo justo. O diagnóstico cada vez

mais precoce, os tratamentos mais efetivos e o corpo profissional de vanguarda

tornam a expectativa de cura cada vez maior. Para nós, funcionários, trabalhar

em um serviço que oferece o melhor para o paciente, deixa a sensação de

completude profissional; o ambiente leve e os sorrisos fáceis que se encontram

na clínica, trazem a humanidade que muitas vezes falta em serviços de saúde. Os

dias de trabalho na Oncoclínica são, na verdade, reuniões com nossos amigos, os

pacientes, juntos com os quais passamos pelo tratamento com leveza e fé.

 

A experiência que se adquire dos guerreiros com câncer reside, assim, no

aprender a valorizar a vida. O paciente oncológico é quase sempre um desafio,

comumente um vitorioso, mas sempre um professor.
Marco Philipe Teles é médico e faz parte da equipe de quimioterapia da Oncoclínica.

Nossa equipe participou do Oncomaster Meeting II

Nossa equipe participou do Oncomaster Meeting II

A Dra. Cristiane Napoleão, juntamente com a Dra. Mariella, participaram do Oncomaster Meeting II, no Rio de Janeiro. O evento é um encontro entre os maiores especialistas em oncologia do Brasil para discussão de temas relevantes e apresentação de novidades no ramo da Oncologia. Palestras, workshops e discussões sobre as maiores tendências do mercado com renomados participantes.

9dc68332-9221-403e-a1de-d69d1b119ff3 (1) 411dba19-c130-4199-83ab-ff4f833ba938 (1) 3c96f11f-4bbe-4363-a9b0-5efcf1856cc5 (1)

Mulheres que fizeram mastectomia têm descontos na compra de carros

13118833_10153765217193541_7138179526838703573_n

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por causa da remoção total ou parcial da mama (Saiba o que é mastectomia), a mulher perde parte da força no braço em razão de esvaziamento das glândulas axilares. Isenção de IPI, ICMS e IPVA.
Nem todas as mulheres que passaram por este processo sabem que têm direito a comprarem um carro zero com câmbio automático e direção hidráulica sem IPI, ICMS, IPVA e liberados de rodízio. Veja o que fazer:

  1.  O primeiro passo é tirar a carteira de habilitação especial. No processo a mulher passa pela avaliação de um médico cadastrado pelo Detran, que provará sua mobilidade reduzida. A mulher pode levar para esta avaliação exames que já fez e comprovam a doença.
  2. É a hora do exame prático. Procure uma auto-escola especializada, que oferece carros automáticos para ensinar mulheres com este tipo de limitação.
  3. Depois de estar com a habilitação em mãos e o exame prático concluído, inicia-se a entrada nos pedidos de isenções de IPI, ICMS e IPVA – um por vez, feitos na Secretaria da Fazenda. Todo esse tramite leva, em média, três meses.

Fonte: Grand Brasil

Cuidando do visual durante o tratamento oncológico.

Cuidando do visual durante o tratamento oncológico

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Durante o tratamento oncológico, a pele tende a ficar mais sensível. Normalmente até as peles mais oleosas tendem a ficar temporariamente secas e escamosas. O tom da pele pode mudar, fazendo com que a pessoa pareça mais corada, pálida ou bronzeada.

Alguns cuidados especiais devem ser tomados na hora de escolher os cosméticos a serem utilizados, justamente porque os tratamentos podem enfraquecer o sistema imunológico, deixando o organismo vulnerável a infecções. A pele seca pode quebrar e escamar, permitindo a entrada de bactérias no sistema imunológico, causando infecções, por isso, use sempre gel antisséptico nas mãos constantemente. É importante escolher produtos para peles sensíveis.

  1. Lave bem as mãos antes de aplicar a maquiagem, e fique atenta à validade dos produtos;
  2. Para a maquiagem parecer mais natural, mantenha a pele sempre hidratada;
  3. Não empreste maquiagem nem pincéis. Sempre que possível, use cotonetes, esponjas e discos de algodão descartáveis. Evite aplicadores reutilizáveis.

Pele
Base: Escolha produtos designados especialmente para o seu atual tipo de pele. A cor da base, entretanto, deve corresponder ao seu tom de pele normal, para dar uma aparência de pele saudável, corrigindo imperfeições e prevenindo descamações.

Proteção Solar: Se a sua base não tiver filtro solar, aplique um protetor solar antes. Escolha um protetor solar próprio para o rosto, para evitar obstrução dos poros.

Corretivo: Existem vários tipos de corretivos nos tons verde, amarelo e lilás, para uniformizar o tom da pele. Use o lilás para corrigir manchas alaranjadas e marrons, o verde para manchas vermelhas, e o amarelo para manchas roxas e azuladas. Opte por corretivos cremosos, evite corretivo em pó, que pode acabar realçando a escamação da pele, além de torná-la mais seca.

Bochechas
Blush: O blush pode realmente dar vida a uma pele pálida, manchada ou cansada, fazendo com que sua aparência se torne saudável e viva. Dê preferência para os blushes em creme ou bastão, evite em pó, pois tendem a se acumular em vincos e rugas, chamando a atenção para a pele seca e escamosa. Espalhe o blush com firmeza para parecer mais natural e escolha um tom adequado para a sua pele.

Olhos
Sobrancelhas: As sobrancelhas podem cair devido à quimioterapia. Confira algumas dicas para obter sobrancelhas com aspecto natural:

  1. Aplique uma base antes de redesenhar a sobrancelha com lápis de sobrancelha ou sombra em pó;
  2. Combine o tom da sobrancelha com a cor do seu cabelo natural ou peruca, da melhor maneira possível;
  3. Segure o lápis ou pincel verticalmente na aba do seu nariz para determinar onde cada sobrancelha deve começar. Faça pontos com o lápis ou pó para marcar o local;
  4. Segure o lápis ou pincel na diagonal, do canto do nariz em direção ao centro da íris, este é o limite para arquear a sobrancelha. Coloque a ponta do lápis no canto externo dos olhos para determinar onde a sobrancelha deve acabar;
  5. Aplique o lápis ou a sombra em pó utilizando um pincel chanfrado, em seguida, aplique um pó translúcido por cima para melhor aderência;
  6. Uma vez que você foi diagnosticada com câncer, a maquiagem permanente na sobrancelha não é recomendada.

Pálpebras: Use um delineador de cor neutra para marcar a pálpebra, criando a aparência de cílios. Em seguida, aplique um hidratante específico para a área dos olhos. Use uma sombra mate de tom claro para iluminar o seu rosto. Dê preferência a sombras cremosas.

 
Lábios
Batom: Mantenha os lábios bem hidratados para evitar descamação e rachaduras, que podem ocorrer como resultado da quimioterapia ou radioterapia. Escolha batons cremosos e hidratantes, evitando as fórmulas de longa duração, que podem acabar acentuando os lábios ressecados. Não esqueça de que seus lábios também precisam de proteção solar, por isso, escolha produtos adequados as suas necessidades.

Como evitar enjoos durante o tratamento

Como evitar enjoos durante o tratamento

shutterstock_311755673
Durante o tratamento oncológico, os pacientes têm que lidar com os efeitos colaterais da quimio e da radioterapia. Ambos resultam em toxicidade para o trato gastrointestinal, o que, consequentemente, leva ao desinteresse pela alimentação, náuseas, vômitos, disgeusia (alteração ou distorção do sentido do gosto/paladar), mucosite (inflamação da mucosa de revestimento do tubo digestivo), diarreia, xerostomia (redução da produção de saliva/boca seca), entre outros. E a alimentação, que era para ser fonte de prazer, acaba se tornando insatisfatória.
 
“Nesses casos, a intervenção nutricional por meio da orientação alimentar e da prescrição de suplementos é necessária para minimizar o impacto no estado nutricional, visto que a perda de peso é frequente em pacientes com câncer”, explica a nutricionista Camila Leonel, da Universidade Federal de São Paulo.
O primeiro passo é conscientizar o paciente da necessidade de comer, embora as náuseas e os vômitos estejam constantemente presentes. Uma das dicas da nutricionista é fracionar o que se come em mais partes, reduzindo o volume por refeição e fazendo de seis a oito refeições ao dia. “Sabemos que o jejum prolongado é um dos fatores que provocam o enjoo, por isso é necessário realizar mais refeições por dia, em menores quantidades”.
 
Além disso, 5 alimentos podem ser grandes auxiliares no combate ao enjoo:
 
Menos saliva
Dê preferência aos alimentos mais secos, como torradas, pães, bolachas e biscoito (sem recheios). A consistência desse tipo de alimento auxilia no controle da sialorreia (aumento da produção de saliva), um dos sintomas comuns durante a náusea. Outro fator importante é que, por serem fontes de carboidratos, são de fácil mastigação, digestão e absorção, contribuindo com o controle da taxa de açúcar no sangue (glicemia). Também apresentam sabor neutro, o que diminui o estímulo sensorial do reflexo do vômito.
 
Fácil digestão
Banana nanica é um ótimo aliado para ajudar a controlar o enjoo, além de ser um alimento com consistência mole, o que torna a digestão mais fácil e reduz a possibilidade de contração do estômago, que pode causar o vômito. A fruta também é rica em potássio, que controla o vômito, e vitamina B, que ajuda a evitar a náusea.
 
Quanto mais frio, melhor!
Procure consumir raspadinha de gelo ou mesmo um cubo de gelo 40 minutos antes das refeições. Inclusive, se possível opte pelas preparações em temperatura ambiente ou por ingerir alimentos frios. A baixa temperatura amortece os receptores de paladar, o que pode ajudar na deglutição do alimento.
 
Azedinho do bem
Frutas cítricas (como limão, por exemplo), são ricas em ácido fólico, uma vitamina do complexo B que estimula a formação dos ácidos digestivos, favorecendo o esvaziamento gástrico e diminuindo o surgimento de enjoos. Alguns pacientes reduzem muito a sensação de náusea ao chupar sorvete de limão ou mesmo a fruta in natura.
 
Hidrate-se
Deve-se priorizar a ingestão de oito a dez copos de líquidos entre as refeições para evitar desidratação. Essa medida minimiza a pressão no estômago, reduzindo a ocorrência de refluxo. Entre os líquidos, boas opções são os líquidos claros, como sucos, chás e caldos, limitando o uso de líquidos com muita cafeína, incluindo refrigerantes à base de cola, café e chá preto ou mate ou verde.
 
Dicas da nutricionista

 

  • Evite que o paciente fique próximo à cozinha na hora do preparo da refeição para impedir que os cheiros dos alimentos durante a cocção acentuem as náuseas;
  • Prepare pratos visualmente agradáveis e coloridos;
  • Use talheres de plástico, caso o sabor de metal esteja interferindo no sabor dos alimentos;
  • Mantenha a cabeça elevada 45° durante e após as refeições;
  • Crie sempre um ambiente agradável para se alimentar. Mesas bem arrumadas, conversas agradáveis e um bom fundo musical podem ser úteis.

 

Fonte: Instituto Vencer o Câncer.

Você sabe o que é Câncer Colorretal?

Você sabe o que é Câncer Colorretal?

12813914_786124351492215_8925586211747419556_n

Março é considerado o mês de conscientização sobre o Câncer Colorretal, uma doença que atinge o intestino grosso e pode acontecer indistintamente em homens e mulheres.

Em sua maioria, o câncer colorretal se desenvolve gradativamente por uma alteração nas células que começam a crescer de forma desordenada sem apresentar qualquer sintoma. Por esse motivo, é fundamental fazer exames de rotina para ajudar na detecção precoce.

A maioria dos casos, em estágio inicial, de câncer colorretal não apresentam quaisquer manifestações clínicas. Por isso, é importante ficar atento a qualquer mudança, sinal ou sintoma diferente, como:

  • Diarreia ou constipação;
  • Sensação de que o intestino não é completamente esvaziado;
  • Presença de sangue nas fezes;
  • Dor abdominal tipo cólica, sensação de inchaço abdominal;
  • Perda de peso sem um motivo específico;
  • Cansaço e fadiga constante.

Estes sintomas também estão relacionados a outras doenças, não são necessariamente exclusivos do câncer colorretal. Entretanto, existindo qualquer um destes, um médico deverá ser consultado para o diagnóstico preciso e o início do tratamento caso necessário.

Em qual médico devo ir?

O Coloproctologista é o médico especialista nas doenças do intestino. Aqueles com histórico familiar ou outros fatores de risco, devem conversar com seus médicos para estabelecerem o início dos exames de rastreamento mais precocemente ou realizá-los com mais frequência. Para aqueles que não possuem fatores de risco identificados, é importante ter o acompanhamento médico a partir dos 50 anos.

Os exames de rastreamento podem detectar o câncer colorretal precocemente, quando ainda a possibilidade de cura é grande. Isso ocorre porque alguns pólipos ou tumores podem ser encontrados e removidos antes de se transformarem em câncer.

O rastreamento é o processo da detecção de câncer em pessoas sem qualquer sintoma, e pode ser dividido em dois grandes grupos:

Exames que podem detectar a presença de pólipos – São exames que avaliam a estrutura do cólon para detectar as áreas anormais. Os pólipos podem ser retirados antes de se tornarem cancerígenos.

Exames para detecção de câncer – Exame de fezes para detecção de sinais de câncer. Este exame é menos invasivo e mais fácil de ser feito, mas é menos específico para detecção de pólipos.

Esses exames, assim como outros podem ser utilizados quando as pessoas têm sintomas no aparelho digestivo que podem ser de câncer colorretal ou outras doenças que acometem o intestino.

colonoscopia_2

Os tratamentos contra o câncer colorretal, na maioria das vezes, podem trazer alguns efeitos colaterais interferindo na forma como o paciente se alimenta. Está comprovado que uma alimentação saudável, que contêm nutrientes (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, minerais e fibras) em quantidades adequadas são indicadas em todas as etapas da doença, mas em especial durante o tratamento.

alimentacao

O planejamento alimentar é parte importante do tratamento. Uma alimentação correta durante essa fase pode contribuir para o seu bem estar e fortalecimento, evitando a degeneração dos tecidos do corpo e ajudando a reconstruir aqueles que o tratamento contra o câncer possa ter prejudicado. Pacientes com boa alimentação durante o tratamento têm melhores condições de vencer os efeitos colaterais e de enfrentar, com êxito, a administração de doses mais altas de certos medicamentos.

Dicas de Alimentação

  • Fracione as refeições. Opte por pequenas porções de 3 em 3 horas;
  • Adquira o hábito de colorir o seu prato com porções de verduras, legumes e cereais. Um prato colorido significa nutrientes diferentes e importantes para o bom andamento do seu organismo;
  • Diminua o consumo de fritura e alimentos que contenham sal;
  • Coma devagar e mastigue bem os alimentos;
  • Evite alimentos industrializados;
  • Hidrate-se com água, sucos naturais ou água de coco.

Fonte: Oncoguia.

Confraternização de Natal

Nossa confraternização de Natal foi linda, com um clima de união e felicidade entre todos os nossos colaboradores. Queremos compartilhar esse momento com todos vocês.
3bae46c7-3bea-4ae1-b2e0-7ab12bed8902 6bf3c8ec-a4d3-4c9f-adf2-ab31116bfc7d 15a9c3b9-e7a2-4eb4-b9c1-dfd2d762ecde 62b8d31c-960b-4783-937c-813066a4521b 74a7b93e-b56b-47a0-8253-bd9666a61c12 352c609b-3901-4cce-a53e-99a45bd50122 a935c3ed-1b50-45c3-a099-d0b4d98749a7 ba3f53b4-2c9c-4413-a95c-fca48926447a e051a424-fd9d-42bb-b7a7-758fa532b589617e924b-fa1c-42fe-af24-7f6946fca09e 211932b8-fb3a-41b1-9b78-afa5358a2e23 b2e547a8-6bb8-4d22-a73c-5c9c8f7eb735 cd0a9328-b2ee-4b1e-be2d-40a60f294be8 d5daa9b7-d0f8-45ae-9bc9-bd5d5d79e1258f6f9749-5847-4beb-8e1f-cd7441385924 19d40a9d-f8c4-487c-a262-7069dfecc64a 49c1c0db-aba2-4fc3-9d63-834e8004e678 76efa750-e34b-4bc7-b7cc-3fdf86de2cd0 2103a16d-ea5f-443f-a708-cacd9c7e7446 022455e4-ee41-44bc-9cb9-3354b0b84112 570358fa-ce50-4d9c-99c7-2e7823c00e2e ad655bbf-9403-40b2-bdb3-97045e548e89 b3249a25-adac-46f6-a8e4-49f71531c05b 768bbf4b-a947-4c3c-b325-c336116e8569 5a96bf41-13ba-42e0-875b-ebed72494536 a11bce77-52c0-4d1d-95af-7a62b09d37a3

1º TEAL Oncoclínica

Em comemoração ao 13º aniversário da Oncoclínica e dos aniversariantes do mês de setembro, realizamos o nosso 1º TEAL (Treinamento Empresarial ao Ar Livre), que é um treinamento especial ao ar livre, que integra grupos e trata da humanização do trabalho em equipe, por meio de jogos colaborativos e dinâmicas de grupo. Foi um momento muito especial para toda a família Oncoclínica e queremos compartilhar com todos vocês!

 

resized 2

resized 3

resized 4

resized 5

resized

 

 

Página 6 de 7